Texto de Arnaldo Jabor

Sempre dá pepino quando resolvo publicar esse tipo de post, mas queria comentar um texto que rolou essa semana no Facebook entre amigos:

“É melhor você ter uma mulher engraçada do que linda,

que sempre te acompanha nas festas,

adora uma cerveja, gosta de futebol,

prefere andar de chinelo e vestidinho,

ou então calça jeans desbotada e camiseta básica,

faz academia quando dá, come carne, é simpática,

não liga pra grana, só quer uma vida tranqüila e saudável,

é desencanada e adora dar risada.

Do que ter uma mulher perfeitinha,

que não curte nada se veste feito um manequim de vitrine,

nunca toma porre e só sabe contar até quinze,

que é até onde chega a seqüência de bíceps e tríceps.

Legal mesmo é mulher de verdade.

E daí se ela tem celulite?

O senso de humor compensa.

Pode ter uns quilinhos a mais, mas é uma ótima companheira.

Pode até ser meio mal educada quando você larga a cueca no meio da sala, mas e daí?

Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução.

Mas ainda não criaram um remédio pra FUTILIDADE!!”

Arnaldo Jabor

E não se esqueça….

“Mulher bonita demais e melancia grande,

ninguém come sozinho!!!!!”

Primeiramente, quero manifestar todo meu respeito e admiração a esse texto tão gostoso e sarcástico. Uma redação feita propositalmente com o intuito de criar em todos os tipos de mulher a certeza de que sua importância é inigualável.

Porém, ele pode ser mal interpretado.

Dizer que as mulheres gordinhas, com celulite e desencanadas são perfeitas, até aí eu concordo, mas não há necessidade de rebaixar as demais. Desde quando as mulheres são medidas conforme sua aparência?

Mulher vestida como vitrine pode estar segura de si e nem por isso se comportar como um robô.

As mulheres possuem o dom de mascarar qualidades negativas por meio das artimanhas do vestuário, como saber quem realmente são por meio de suas roupas? Até que ponto elas são sinceras com o mundo naquilo que querem demonstrar?

As técnicas de beleza são capazes de encobrir defeitos físicos e permitir que mulheres voltem a sair às ruas, que amem a si mesmas, que se aceitem e entendam que podem comandar todo seu corpo. Algo intimamente ligado com a psicologia. Tem certeza que isso é futilidade?

Por fim, beleza não pode medir o caráter de um ser humano, quer dizer agora que as mulheres bonitas demais traem?

Afinal, mulher, independentemente do seu biotipo, sempre será uma mulher de verdade.

Tags: , , ,

Uma resposta to “Texto de Arnaldo Jabor”

  1. Érica Viana Says:

    Concordo com você Roberta. Infelizmente é comum esse tipo de afirmação como verdade absoluta. Se a mulher é bonita, gosta de se vestir bem e valorizar o que tem de melhor através de maquiagem e acessórios obrigatoriamente ela tem que ser burra e fútil; ou ainda, se a mulher é inteligente, prefere um bom livro do que um barzinho pra encher a cara, ela é feia e mal humorada. Lamentável é encontrar pessoas que realmente julgam as outras com base nesses critérios inconsistentes e prematuros. Vamos lá pessoal, as pessoas são mais do que a aparência, é possível sim ser bonita e inteligente, ou ter um comportamento mais despojado e ser legal. Está na hora de acabarmos com o pré- julgamento, vamos conhecer as pessoas antes de “enquadrá-la” em perfil pré moldado. Com certeza somos muito mais que isso. Bjos Robertaaaa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: